jun 20 2003

Brunhilda

Ó minha doce Brunhilda,
dama de incomparável beleza,
senhora de valentia incontestável
que tua mão erga-se altiva sobre a cabeça dos ímpios
e ofereça a Hel um tributo deleitoso.

Princesa das terras do norte,
de cabelos mais valiosos que o ouro
e olhos mais preciosos do que as esmeraldas,
que teu poder faça-se temer tua ira
e que todos clãs se curvem diante de tua presença.

Escolhida e destinada,
fostes tu a ser a nossa defensora,
nossa guardiã e valquíria.
Que nunca te traia teu coração e tua alma
e nunca te faltes a força e o aço.

Este servo, humilde Skirnir,
devota a ti toda a sua lealdade e apreço,
e dedica-te seu coração,
mesmo que este, inferior aos bersekers
jamais encontraria a graça de sua amada.

[Esta é dedicada a Greice, por povoar meus sonhos noturnos. Tentei fazer algo dentro dos padrões do Arcadismo/Romantismo, para variar um pouco.]

› Continue lendo


jun 20 2003

Edda

Terminei a primeira parte do Edda. Ele está para a cultura nórdica como a Odisséia está para a cultura grega. Muito bom.
Ainda não consegui oranizar meus compromissos e minha cabeça dói um pouco. Estou tentando não deixar que isto afeste o meu humor. Ao menos na quarta-feira, durante a apresentação do Trabalho de Conclusão de Curso do meu irmão eu consegui. A Júlia estava um doce e estando o toni bastante atarefado com cumprimentos e elogios dos professores, aproveitei para papear um pouco com a minha cunhada.
Adorei a nova versão do Sepulcro.

› Continue lendo