Veio a chuva

Veio a chuva

e ela veio…
arrancando as barreiras,
destronando o ócio
arremessando longe
meus sentimentos

eu tentei fugir, tentei correr…
mas onde ia ela me alcançava,
caía sobre mim
como pequenas farpas gélidas
que me arrancavam a força
o calor e a vida

pânico e desonforto,
os óculos embaçados,
o cabelo sobre os olhos,
os passos trôpegos,
o chão… molhado

então, em meio a chuva
uma pequena e delicada mão
me toma e me puxa de volta
traz de volta o calor,
o toque da vida
e me tira da chuva

quero ver seu rosto,
garota das mãos macias

Depois disso vou ter que me redimir com as minhas senhoras… a chuva, a lua, a dama do vento e a rainha do frio.


Deixar uma Resposta