nov 19 2003

Ausência

Desculpa pessoal, mas desta vez não temos garota com estrelinhas nos bolsos ou nada do gênero. Tentei descrever da melhor maneira que pude o frio que me assola… mas acho que não consegui obter muito resultado. Queria poder me expressar melhor, tal qual um tesouro que encontrei.

Teus passos acompanham os meus,
disfarçam-se entre milhares de outros
da cidade que se move.
Caminha ao meu lado,
silenciosa como a brisa
que te acaria os cabelos.
Meus olhos não conseguem afastar-se
porque tua beleza ainda me atrai,
me intriga.
E meu desejo,
perdido em teus lábios,
navega entre lembranças
de fatos que jamais ocorreram.

Percebo teus olhos buscando os meus
e teus lábios movendo-se com suavidade
enquanto te atiras em meus braços.
Mas eu não ouço tuas palavras,
nem sinto teu toque,
quando teu corpo atravessa o meu.
Caio, sentado na calçada,
ferido por um frio intenso
que me devora o peito,
dilacerando minh’alma.

Em meio a turba eu me quedo,
envolto pelas pessoas que caminham,
sozinho em meio a uma dor que é só minha.
E vejo teus olhos, Solidão,
ainda mais inquisidores,
aúgurio cruel do meu desejo
que nunca será aplacado.

› Continue lendo


nov 19 2003

Review: Haggard

In a Fullmoon Procession
Há algum tempo (um ano e meio pelo menos), um amigo indicou-me uma banda de metal clássico. Metal Clássico? É… tipo, os caras tocam com instrumentos de uma orquestra, na verdade eles são quase uma orquestra, afinal são 18 integrantes.
O som é um misto de death e doom metal, sem o som estridente das guitarras. Para aqueles que quiserem conferir pouco mais da banda: http://www.haggard.de.

› Continue lendo