Juramentos

“Como Ceinwyn costumava dizer, para um homem que afirmava odiar juramentos, ele gostava demais de fazê-los.”

Sempre me vangloriei pelo meu porte guerreiro, pela minha pré-disposição para a batalha, e quando a força se mostrou realmente necessária eu fraquejei. Diante do inimigo eu retrocedi e fugi, me enfureci e me atirei em seus braços.
Quebrei minha honra, deixando que ferissem alguém que amo e parti um juramento antigo, erguendo a mão contra o meu próprio sangue.
Honra e respeito, dilacerados em dois dias.
Agora eu sofro, com os braços ainda latejando por causa do azulejo gelado. Dormi um sono repleto de arrependimento e acordei com a consciência da minha falta.



Deixar uma Resposta