Inspirado no “Irish Folk and Faery Tales”

O vento uiva ruidosamente batendo as janelas, erguendo as cortinas, invadindo meu quarto. Sozinho na cama me encolho em meu próprio abraço, desejando que fosse o teu toque.
As noites de inverno são lindas no chalet, mas solitárias sem a tua presença. As estrelas ainda brilham, mas não me consolam. Nem mesmo a lua sorri da mesma maneira, e eu sinto um estranho vazio. Algo que me congela as costas, provocando dor em meus ferimentos.
Desejo o mundo das sombras e a tua companhia, minha doce daoine sidhe.
Diário de lorde Henry O’Connor, encontrado morto em estado de hipotermia profunda



Deixar uma Resposta