Findou-se

Após muito tempo eu finalmente terminei de ler Guerra e Paz. Foi longo e cansativo, mas valeu a pena. Uma novela digna de ser lida, com personagens complexos e reais, com dramas tão comuns quanto os nossos, e atitudes tão confusamente racionais.
É um conto de pessoas corajosas que, cada qual, acaba por descobrir um sentido em sua prórpia vida, na coragem, na amizade, nas virtudes, no amor. É tão estranho não saber descrever uma obra tão magnífica:

… Ele se ergue e dirige-se à porta para fechá-la a chave. Terá ou não tempo de fechá-la? Todo o problema se reside nisso. Caminha, apressa-se, mas as pernas não lhe obedecem, sabe que não terá tempo para fechar a porta e dolorosamente emprega nisso todas as forças. Um medo terrível apodera-se dele. Esse medo é o medo da morte: atrás da porta está ela. Mas enquanto se arrasta com dificuldade e já sem forças, essa coisa horrível apóia-se no outro lado, começa a empurrá-la. Essa coisa inumana – a morte – empurra a porta e é preciso detê-la. Chega até a porta, emprega suas últimas forças não para conseguir fechá-la, mas pelo menos impedir que seja aberta. Seus esforços, porém, são fracos, essa coisa horrível empurra com mais força, a porta se abre e torna a fechar-se. Mais uma vez ela empurra do outro lado. Seus últimos esforços sobre-humanos tornam-se vãos e a porta escancara-se sem barulho. Ela entrou: é a morte. E o príncipe Andriei morre.
– Guerra e Paz, Liev Nicolaievitch Tolstoi



Deixar uma Resposta