set 13 2004

Sussurrando

O vento frio me abraçou e no silêncio eu ouvi o sussurrar do meu nome. Um estranho vazio se apossou de mim. Algo na escuridão clamava por mim novamente, como se reclamando da ausência.
Medo do passado? Só para aqueles que têm algo a perder.
Hoje eu tenho. E temo o véxo sombrio e melancólico de ontem. Mas algumas vezes, algumas vezes, eu o revejo como uma premonição, de um futuro possível.
Mas eu não vou deixar, não sem lutar.

› Continue lendo