abr 4 2005

O Guia

Eu ainda lembro a primeira vez que nos encontramos, e ele já era bem mais velho do que eu. Vigoroso é verdade, e ágil como uma lebre. Virtudes tão necessárias para um guia.
Foi a primeira vez que visitei o monolito da honra. Ele me acompanhou por boa parte do caminho, apoiado naquele cajado comprido. Seus passos eram confiantes e sua vista aguçada. Ele viu a rocha ao longe e me apontou a direção:
– Suba aquela colina e você encontrará.
Mas ele não foi além deste ponto. Eu o visitei uma outra vez, quando retornei ao monolito; mas ele não mais guiava as pessoas até lá. Estava cansado e abatido, mas algo no seu olhar lembrava a vivacidade e a certeza de outrora.
Hoje chegou uma carta, uma carta selada. Ele se foi para junto os anjos…

› Continue lendo