Resenha: Mestre Gil de Ham

E foi-se também o Mestre Gil de Ham. Não sei se estou com muito tempo livre (o tempo a caminho é maior agora) ou se estou com um apetite literário realmente grande, mas o fato é que entre idas e vindas finalizei mais um livro nesta semana. Estou em dúvida quanto ao próximo: o Hobbit, talvez?

Quanto ao Mestre Gil de Ham
Junto ao Roverrandom completam as histórias fora-Terra-Média do Tolkien publicadas no Brasil. Ambas são simples e bastante engraçadas, embora pequem um pouco no carisma comparado ao Hobbit. O Personagem principal, Gilles é um fazendeiro pacato e nem um pouco corajoso que se vê em encrecas realmente grandes para o seu tamanho.
Graças a um pouco de sorte e ajuda de sua fiel égua cinzenta, Gil não só consegue vencer os desafios quanto adquire fama e riqueza lendárias. Vai um destaque especial para o cachorro puxa-saco e para o dragão ardiloso.
O estilo bem-humorado de Tolkien empresta um sabor engraçado a história, que tenta explicar a origem dos nomes de alguns dos povoados no interior da Inglaterra.
Junto ao livro, foi anexada uma versão anterior do conto, muito mais simples e de leitura ainda mais simples, que eu gostei ainda mais, por possibilitar a história ser contada por um pai dedicado, coisa que o autor gostaria muito, creio eu



Deixar uma Resposta