Mãos

Estas já passaram por muitas coisas: já tocaram fios desencapados, receberam talhos de facas e tesouras, mordidas, já foram arrastadas contra a parede, violentamente…
Ainda guardam marcas, algumas, de dias mais sofridos. Uma vez voaram contra o piso do banheiro. Racharam-no. Algumas vezes.
Calejadas já ergueram pás da terra ou satisfeitas removeram dela cenouras vistosas; agilmente teceram frases na mais alva folha e tão maquinalmente construíram interfaces digitais.
Minhas mãos realizaram feitos de que muito tenho a me orgulhar; já ergueram uma espada, colheram flores ergueram taças; já despertaram uma princesa de seu belo sono.
Admira-me o fato delas serem duas, e ao mesmo tempo formarem algo tão único, numa sincronia tão perfeita.

E, falando em mãos, Edward Mãos de Tesoura será transformado em musical


Deixar uma Resposta