Dos segredos que Ocultamos

Os temores mais secretos,
dispostos em nossos recantos mais profundos,
no secto mais sombrio e pútrido da alma humana
prostramos diante de nossos olhos,
próximos o bastante para serem vigiados,
guardados, zelados e reverenciadoa
em seus esquifes de mármore gélido
numerados por placas de metal barato;
pois ali, diante dos olhos alheios
não se parecem tão horríveis,
o cheiro de podridão se torna suportável,
o aspecto dilacerado da carne torna-se
tão comum espetáculo quanto o circo no domingo;
os atos mais pérfidos justificam-se
perante as verdades universais dos teóricos,
racionais e revolucionários
sepultados e esquecidos em túmulo
tão semelhantes a este
onde nossos segredos,do mundo ocultamos.



Deixar uma Resposta