Pela Janela

A garoa fina encharcava suas asas, deixando úmida e brilhante a pelagem curta sobre ela. Do alto da muralha ele observava a cidade pouco abaixo, o asfalto negro coberto pela água, os carros chapinando pelas poças. Uma luz acesa atraía sua atenção. Ela ainda estava acordada, aquela pela qual ele ganhara estas asas



Deixar uma Resposta