O sorriso de Isabela

Lembro a primeira vez que me apaixonei por um sorriso; já havia me apaixonado antes, por olhos azuis e cabelos dourados, mas a primeira paixão por um sorriso me marcou. Isabela sorria como poucos; era doce, meiga e gentil. E eu era tímido.
Gostaria de ter sido mais sincero comigo mesmo mas, na época em que importavam as curvas delgadas e lábios carnudos, Isabela me trouxe o conforto da cumplicidade e amizade sinceras. Com suas madeixas castanhas e olhos profundos, ela era linda e eu ainda era tímido.
Seu sorriso ainda brilha, preso no barbante de minhas lembranças voa alto, sem que eu o deixe ir embora. Mas sobe, ao sabor do vento, rumo ao céu azul onde reside a menina por quem me apaixonei por um sorriso. Isabela é livre e eu continuo tímido.

Nunca tive a chance de saber se poderíamos ter nos encontrado um no outro, e nunca tive a chance de dar-lhe adeus. Você se foi e eu gostaria de ter dito tanto



Uma Resposta para “O sorriso de Isabela”

Deixar uma Resposta