O Grito Silencioso

Algumas vezes surge no meu peito um grito que eu mantenho abafado. É um grasnado gutural, rasgado e rancoroso que cava seu caminho pela traquéia arranhando e ferindo as cordas vocais.

Mas eu torço meus dedos, fecho a boca e forço-o a seco a descer garganta abaixo. Pois é um grito solitário que deve ser mantido em segredo até que eu possa libertá-lo,… quando ninguém puder me ouvir.


Deixar uma Resposta