Lembro-me hoje…

Lembro hoje do teu sorriso, aquele incontido e pleno de satisfação quando fazia algo para supreender-te. Lembro, também hoje, o toque da tua camiseta quando me abraçava, os teus braços a volta do meu pescoço, o cheiro que emanava suave do teu pescoço. Lembro hoje que desejavámos não ter fim algo que durante tão pouco tornou-se eterno.

Guardo as lembranças em um baú a minha cabeceira, onde posso ver-te todos os dias; em olhos que não os teus, em vozes que não a tua. Egoísta, por querer hoje partilhar duma alegria, dum momento que não mais a nós pertence. Ao contrário, a um passado que perfeito em seu baú está.


Deixar uma Resposta