Pressão

Enquanto a pressão aumenta,
enquanto os vasculares se dilatam,
ardem meus olhos sobre as velas,
lendo as palavras que escrevi
[ e nunca proferi.

Sinto minha mente ferver
em uma caçarola de tormentos
que me desfaz aos poucos
entre leite-de-coco, gengibre
[ e pimenta.

Não importando onde vou,
me persegue e me alcança,
tortura-me novamente os sentidos
devora-me novamente o sono
[ e digere-o.


Versos alimentados por uma receita tailandesa do Toni, uma música do Anathema e meus próprios escritos.


Deixar uma Resposta