Dor em sete versos

Arranquei teu sorriso,
e substitui por lágrimas,
que antes de mim
não existiam.

Tomei teu braço
até a estação mais próxima
e sem voltar-me,
devolvi-a à vida.

E o caminho para casa
voltou a ser sombrio
com’uma noite
sem estrelas.

E mesmo que teu perfume
tenha permanecido,
minha cama agora é
mais fria e vazia.

Como se há anos a dividíssemos,
estranha-me agora tua falta,
substituída p’outra dama,
minha saudade.

Torna a dor mais suportável
por saber que breve
aquele teu sorriso
enfim retornará.

Embora me doa a certeza
que será outro
que não eu
a despertá-lo.


Deixar uma Resposta