ago 7 2014

Ainda acho pedaços seus…

So – you – said – that
I – shall – try – to go on

[…]

And I need love
Like I never needed love before …

– Apart, Lacrimosa


ago 4 2014

from Natalie

I can see the perfect sky is torn…

– Natalie, Torn


jul 28 2014

A hole inside…

I can’t keep pushing this down any deeper
Why do I keep trying if I can’t keep her?

Because it feels like there’s a hole inside my body
Like there’s a hole inside my heart
It’s like this feeling is gonna consume me

I’m so dumb, I should have just told you,
what I lost was a piece of you…

Pequena composição extraída de Adventure Time


jul 16 2014

Dreams


Glittering Heath I saw it all, gold lay beneath
And the Dragon did meet its bane and was slain and at Dawn at the
Valkyries hill, crossing the fire, acting her will
Was the slayer and how alive though it seems
I was there in my dreams

– Dreams, Týr


jul 15 2014

Eu lembro de você!

Eu sou seu Simon. Sou maluco e não lembro mais de você.
Na verdade nem sei o que isso significa.
Ou seria o contrário?


jul 7 2014

Lonesome Town, completa

– originalmente publicada em 08 de junho de 2012

There’s a place where lovers go
To cry their troubles away.
And they call it,
Lonesome Town,
Where the broken hearts stay.

You can buy a dream or two,
To last you all through the years
And the only price you pay
Is a heart full of tears

Goin’ down to lonesome town,
Where the broken hearts stay,
Goin’ down to lonesome town
To cry my troubles away.

In the town of broken dreams,
The streets are filled with regret,
Maybe down in lonesome town,
I can learn to forget.

Maybe down in lonesome town,
I can learn to forget.


jun 4 2014

Poe tirou-me de mim…

[…] Fez eu pensar sobre como eu poderia motivar os outros, e me preocupar menos comigo. Ele me fez decidir tornar-me um escritor.
– atribuído a Sylvester Stallone


maio 20 2014

I remember you!


This magic keeps me alive,
[ but it’s making me crazy,
And I need to save you,
[ but who’s going to save me?
Please forgive me
[ for whatever I do,
When I don’t remember you.

– Simon, Adventure Time


jan 24 2014

Pálida Inocência

– Álvares de Azevedo

Por que, pálida inocência,
Os olhos teus em dormência
A medo lanças em mim?
No aperto de minha mão
Que sonho do coração
Tremeu-te os seios assim?

E tuas falas divinas
Em que amor lânguida afinas
Em que lânguido sonhar?
E dormindo sem receio
Por que geme no teu seio
Ansioso suspirar?

Inocência! Quem dissera
De tua azul primavera
As tuas brisas de amor!
Oh! Quem teus lábios sentira
E que trêmulo te abrira
Dos sonhos a tua flor!

Quem te dera a esperança
De tua alma de criança,
Que perfuma teu dormir!
Quem dos sonhos te acordasse,
Que num beijo t’embalasse
Desmaiada no sentir!

Quem te amasse! E um momento
Respirando o teu alento
Recendesse os lábios seus!
Quem lera, divina e bela,
Teu romance de donzela
Cheio de amor e de Deus!


nov 1 2013

…no fim do caminho

Um lampejo de ressentimento. Já é difícil o bastante estar vivo, tentando sobreviver no mundo e encontrar o seu lugar nele, fazer as coisas de que se precisa para seguir em frente, sem se preocupar se aquilo que você acabou de fazer, o que quer que tenha sido, foi o suficiente para a pessoa que,se não morrera, desistiria da própria vida. Não era justo.

– O Oceano no Fim do Caminho, Neil Gaiman