jul 12 2011

Um bom dia para Fugir

Ontem foi um bom dia para fugir, ligar o carro e dirigir até a beira-mar. Lá, sentar sobre o capô e vislumbrar os navios deslizando no horizonte enquanto o vento frio nos traria o inverno aos narizes, orelhas e os dedos desprotegidos das mãos.

Ontem, o celular poderia tocar, mas o rugir das ondas contra a baía afastaria todos os outros sons para longe. Seríamos nós, eu e você, o vento a cruzar o cinzento do céu erguendo as pipas do solo, afastando as nuvens e criando a espuma das ondas.

Ontem foi um bom dia para fugir, mas hoje eu me descubro sozinho em frente a um mar revolto que a maré deixou. Levou embora meu vento e trancou suas lembranças fundo em mim.

Se ainda fosse ontem, eu fugiria. Voaria contigo ao sabor do vento, para onde a vida não pudesse nos alcançar.


jul 12 2007

She’s dead but still I love her (in some way)

relembrando o post de um ano atrás

› Continue lendo


jan 16 2007

Sonhos

Ultimamente tenho sonhado (srta deve se alegrar com a notícia) uma ou duas vezes por semana; semana sim, semana não. Sonhos nostálgicos e melancólicos sobre o passado.
Sonhos sempre são estranhos, mas estes me surpreende por serem quase… reais. Num deles reencontrei Isabela, ela ficou contente com a minha preocupação, disse que tudo estaria bem e me beijou.
E eu acordei pensando em voar ao sabor do vento, rumo ao céu azul

› Continue lendo


dez 17 2006

Coisas que já não voltam mais

  • estrelas do rádio;
  • beijo esbarrado na aula de educação física;
  • álbum de figurinhas do chocolate surpresa;
  • o chocolate surpresa;
  • cemitério sem portões;
  • David e Isabela, por diferentes razões;
  • avós; e
  • a vida.

› Continue lendo


jun 29 2006

O sorriso de Isabela

Lembro a primeira vez que me apaixonei por um sorriso; já havia me apaixonado antes, por olhos azuis e cabelos dourados, mas a primeira paixão por um sorriso me marcou. Isabela sorria como poucos; era doce, meiga e gentil. E eu era tímido.
Gostaria de ter sido mais sincero comigo mesmo mas, na época em que importavam as curvas delgadas e lábios carnudos, Isabela me trouxe o conforto da cumplicidade e amizade sinceras. Com suas madeixas castanhas e olhos profundos, ela era linda e eu ainda era tímido.
Seu sorriso ainda brilha, preso no barbante de minhas lembranças voa alto, sem que eu o deixe ir embora. Mas sobe, ao sabor do vento, rumo ao céu azul onde reside a menina por quem me apaixonei por um sorriso. Isabela é livre e eu continuo tímido.

Nunca tive a chance de saber se poderíamos ter nos encontrado um no outro, e nunca tive a chance de dar-lhe adeus. Você se foi e eu gostaria de ter dito tanto

› Continue lendo


jun 28 2006

Dead Isa

Isabela morreu. Foi entre o dia 15 e 18 de março, logo após adicioná-la no orkut. Morreu de câncer. Isabela faria 25 anos no próximo mês. Ela tinha o sorriso mais bonito que eu já vi. Gostaria de ter dito isto a ela.
Eu soube hoje

› Continue lendo