out 21 2013

Minha irmã. Sua dor. Meu orgulho.

Se te fizer bem, vai! Só não olha pra trás, se olhar, vou te pedir pra voltar.
5:59pm – 21 out 13


ago 11 2012

Aline & Jackson

Acho que o sinal tironiano (ampersand) ali em cima dá uma boa dica do que se sucede no dia de hoje.

Aline, uma mocinha muito educada que ganhou meu respeito e admiração, e um dia me presenteou com um lápis no momento que eu muito precisava ingressa a família Molléri definitivamente neste dia.

E por mais que eu possa falar aqui, pouco me aproximaria do que eu realmente sinto ao ver esses dois subindo ao altar. Eles merecem ser muito felizes, e sobretudo esses são os meus votos.


mar 10 2011

Ensinamentos de meu Pai

Quando criança, sempre que a necessidade de algum reparo doméstico surgia meu pai me convocava a ajudá-lo. Era comum que eu ficasse por perto, ao lado da caixa de ferramentas e alcançasse ou segurasse para ele qualquer artefato ou ferramenta que necessitasse: resistências de chuveiro, chaves de fenda, fita isolante, um pouco de tudo.

Pouco a pouco meu pai me ensinava lições importantes a respeito. Nunca me pediu para colocar uma peça em seu lugar, ou segurando minhas mãos me orientou a apertar um parafuso; ao contrário evitou em me fornecer técnicas ou ferramentas para a manutenção que ele mesmo podia fazer.

Me privando disto, poderia imaginar que de nada aprendi. Mas ao contrário, meu pai ensinou-me as lições mais preciosas sobre serviço, presteza e diligência; princípios e valores que guiam meus passos ainda hoje.

De modo consciente ou não, meu pai forjou-me numa forma que o mundo nunca será capaz de dobrar.


jun 4 2009

É junho e faz frio…

É junho e faz frio, finalmente o frio. Tive saudades e temi que ele não viesse outra vez, mas cumpriu o prometido.
Ano sim, ano não, me faz tirar do armário o sobretudo, minha segunda pele e sentir novamente prazer em caminhar pela noite.

A lua, meio encoberta pelas nuvens (ou seria névoa?) me observa curiosa, atenta. Sua luz argêntea não chega a tocar-me na escuridão. Pertenço a ela, creio. E ao frio, e me criaram como pai e mãe pouco zelosos, arremessando-me para o seio da vida. Dolorosa e doce vida.

Filha da escuridão também a morte. Minha irmã, minha cara-metade, anseio dos meus dias, fonte do meu desejo. Se esgueira pela noite e foge, correndo por vielas que não aquelas que freqüento. Certo dia ainda a encontro, ou me encontra, não sei ao certo.

Enquanto isso a noite avança vagarosamente, cobrindo de lágrimas brilhantes o negrume da escuridão e trazendo o toque do pai para junto de meu peito. Dedos como adagas, sopro como o hálito de um dragão; sua voz me perturba e atordoa. Pai.

Renasço do frio….


jul 18 2005

Aqueles que Transformam a Minha Vida

Foi um final de semana turbulento; altos e baixos… eu estava preocupado com os lances da internação da minha mãe e os ânimos do pessoal lá de casa e acabei descontando em quem não devia (leia-se Ferio e Julie), mas eles foram pacientes e cuidadosos comigo; me acalmaram e me ergueram nos momentos em que eu mais precisei. Deus sabe o quanto eu devo a estes dois, e outros tantos amigos que não me deixam só na frente de combate.
O Ferio é um amigo de poucos anos, mas que parece me conhecer a vida inteira; já a Juliete é uma princesa como poucas, uma florzinha delicada e de espinhos pequeninos que enche meus olhos de radiância e minha mente de sonhos.
Espero um dia poder retribuir a eles toda esta dedicação

› Continue lendo


mar 28 2005

Feriadão

Três dias para descansar, ou nem isto. Eu aproveitei para ver alguns filmes que estava querendo (embora ainda não todos), para conversar com alguns amigos (e outros nem tanto) e para dedicar algum tempo a minha família,… e a minha princesa também.
Fora isto houve RPG e eu caminhei muito de um lado a outro.
Ainda estou devendo um e-mail longo para uma amiga distante; e alguns textos decentes para este blog.
Estou devendo muito ainda…

› Continue lendo


set 30 2003

Novidades?

  • Anderson me liga ontem no meio da tarde: chegou tua encomenda. DragonQuest. Bons velhos tempos.
  • Jackson com namorada longe, longe… todos já sabem o que eu acho.
  • Terminei os canais, mas tem outras coisas a consertar nas presas.
  • Ah, sim… Glenn aceitou o presente.Isto quer dizer,

Bem, isto significa que dentro em breve eu serei sócio do grupow, a empresa onde trabalho (ou trabalhava, em certos sentidos).
Queria aproveitar e agradecer a todos os vanires que me auxiliaram na minha decisão, aqueles que me disseram que eu deveria ou não deveria, aqueles que não deixaram claras suas opiniões, mas me estenderam uma luz e mesmo aquela que tenho que confiar cegamente… coisa que nem precisava me pedir.
Obrigado mesmo.
Novos caminhos, novas trilhas, novas batalhas… Estarei pronto? 

› Continue lendo


jul 10 2003

Notícias:

Minha irmã volta para casa logo. Parece que as coisas não deram muito certo por aqui e a moça que estava morando com ela voltou para a terra natal. Saldo final: + uma cama de casal e + uma bicicleta e – um conjunto de facas profissionais. Ao meu entender ela saiu perdendo, e bastante.
Meu irmão tirou o gesso. Ganhou uma cicatriz de batalha muito massa. O mais engraçado é que ele vai ter que reabri-la para extrair os componentes adicionais. O difícil vai ser desinstalar o driver.

› Continue lendo


jun 30 2003

Direcionados

para a coordenadora da ordem: Ás vezes acho que eles não confiam em mim. Mesmo depois de 11 anos de serviço.
para a mãe: Irresponsabilidade dela. A Renata vai ter que aprender com isto.
para a menina de sobretudo: Não quero ser seu amigo. Não quero saber sobre a sua vida, e também que você saiba da minha.

› Continue lendo


maio 16 2003

Notícias

O que eu posso dizer? Ainda não estou nada bem… nem sei se quero ficar!
Sabem a história do filho pródigo? É, aquela da Bíblia… é minha irmã. Eu sou o filho mais velho, o certinho, o paladino correto com escudo de estrelinha e visor ótico. Bem, voltando a minha irmã… ela e a pródiga que não retornou, na verdade não sei se ela voltará para casa mas… ela já é a preferida da mãe, sabem.
Porque eu deveria me importar? Pensei nisto ontem. Porque? Eu sou o filho mais velho, eu vivi e me preparei para isso, eu não exijo, não discordo, não discuto. Doei o sangue e as vísceras porque este é o papel do irmão mais velho. Enquanto o pródigo se delicia com banquetes e sodomias nas melhores estalagens das maiores cidades, o mais velho ara os campos.
O que eu quero então? … queria saber se para o mais velho alguma recompensa está reservada.

– Vc precisa de menos preocupações.
– Tlvz seja isso que eu queira, me livrar delas, fugir, sei lá…
– É soh descobrir um bom jeito de solucioná-las…
Isso ficou martelando na minha mente. Solucionar.

Ainda espero mudanças… de ares, de situação. Estou triste com todos os acontecimentos do início da semana, e não consigo escolher as palavras certas para dizer isto… talvez nunca consiga. Melhor fugir?
Amanhã tenho uma festa para ir… o aniversário de quinze anos da
“menininha de doze”. Explicando: eu conheci ela quando não tinha nem bem doze, apesar de aparentar ser mais velha, linda como ela só. Conseqüência: me apaixonei por uma “menininha de doze” que amanhã faz quinze.
O tempo passa. Os sentimentos mudam, ficam para trás com as lembranças. Mas como velhos fantasmas e sombras adormecidas eles voltam. E assim ele voltou quando ela virou-se para mim e disse: – Dia 17 vou dar uma festa de aniversário em Jaraguá. Você vai, né?.
E é este maldito que nos tira a concentração, que derruba-nos as defesas.
I wish not to fall again.

› Continue lendo