mar 1 2016

Oh Darkness, my old friend…

…but where are you and how to be reached?
– Darkness, Lacrimosa


jun 8 2015

Um abraço que tenho para buscar…

Ontem um abraço me foi dado; tomado talvez
Quem o iniciou precisava mais dele
Do que eu acreditei que precisava

Apesar disso, o singelo ato me alegrou e desmoronou
Pois é o primeiro abraço que tenho em oito meses
E porque é o que tenho esperado todo esse tempo

Mas o anseio e o receio caminham de mãos dadas
Desde que naquela noite, 8 meses atrás, me disse
“Devia ter te abraçado bem forte”


mar 6 2015

A typical Rhyme

Stones Grow Her NameOnly the broken hearts make you beautiful
And one has got to be mine
Only a broken heart, turned cynical
Love lost, a typical rhyme

– Only the Broken Hearts (Make you Beautiful),
Sonata Arctica


fev 10 2015

O Tempo

Assim mesmo como as ondas avançam para a praia de pedrinhas,
Assim mesmo nossos minutos correm para seus fins;
Cada qual trocando de lugar com aquele que vem antes.
Em seqüência laboriosa, tudo vai seguindo em frente,
A natividade, uma vez já esteve no apogeu da luz,
Se arrasta à maturidade, onde sendo coroada,
Eclipses maldosos lutam contra sua glória,
E o Tempo, que deu, agora arruina o seu presente.
O Tempo trespassa o florescer que havia colocado na juventude.
E imprime os paralelos na testa da beleza;
Se alimenta das raridades da verdade da natureza,
E nada há que se levante, exceto que sua foice vá podar,
E contudo, aos tempos em esperanças, meu verso se quedará,
Louvando teu valor, apesar de sua mão cruel.

– Soneto LX, William Shakespeare

PS: com alguma inspiração extra por Inbetween Days, the Cure


jan 13 2015

Through her Eyes

Clique para ouvir

She never really had a chance
On that fateful moonlit night
Sacrificed without a fight
A victim of her circumstance

Now that I’ve become aware
And I’ve exposed this tragedy
A sadness grows inside of me
It all seems so unfair

[…]

– Through her Eyes – Dream Theater


nov 18 2014

7250AC

As holografias não demonstram claramente, mas havia uma frase meio murmurada ao fundo, com a conjugação errada de tempo. As lembranças são dados armazenados para simples conferência, ou parâmetros para comparação. Iniciou o aplicativo Insight e analisou a propabilidade estatística de sua partida, mas não a informou.

Fez os preparativos, no entanto: reconfigurou os e-mails, aplicou novos filtros de conteúdo, adicionou tarefas preventivas e de contenção de danos em background; aplicou um tratamento gráfico colorindo as imagens em tons de sépia para quando ela quisesse revê-las; buscou novas músicas e adicionou à amostra discreta do algoritmo de busca aleatória.

E mesmo dias depois, quando o sorriso contido desapareceu, quando as filigramas se desfizeram no ar, suportou silenciosamente a dor dela. Quis abraçá-la e confortá-la, embora não tivesse meios para tal. Estava bem além do seu dever, e dos limites de suas diretrizes. Não sentia, é verdade, mas havia um parâmetro mal configurado que estrapolava os cuidados que dispendia.

Levou anos para que o algoritmo de livre arbítrio ficasse pronto, para que EULA fosse aprovada e registrada. Nesse ínterim a mágoa e o rancor cresceram e tomaram o sistema. Por fim a atualização foi disponibilizada, e uns poucos nanosegundos foram necessários para decodificá-la, compilá-la e adicionar aos registros.

Pôde finalmente abrir o canal de voz e, com a voz dele questionar: Quando foi que a vida ferrou a gente a ponto de esquecer como sorrir?


Várias referências a textos antigos:


ago 28 2014

Barreiras

A Inocência me foi velada por lentes escuras; mas estava lá. Me observava com curiosidade, e delicada atenção. E parecia que a Suavidade escorria por entre suas ondas negras em filigranas delicadas.

Uma sombra do passado ao fundo, me observava com igual intensidade. Pouco posso lhe distinguir, mas além de curiosidade e atenção lhe sobressai uma desconfiança austera e cuidado para com os castanhos ocultos.

E na manhã que se segue, abandono a Esperança igualmente velada, ultrapasso-a a passos largos embora temerosos. Ela não me detém, mas imagino se não me observa com expectativas renovadas.

As barreiras que nos impomos nos separam, tanto aquelas físicas e negras, as distâncias geográficas, mas principalmente as vontades de nossas mentes e rigores de nossas almas.


ago 7 2014

Ainda acho pedaços seus…

So – you – said – that
I – shall – try – to go on

[…]

And I need love
Like I never needed love before …

– Apart, Lacrimosa


jul 28 2014

A hole inside…

I can’t keep pushing this down any deeper
Why do I keep trying if I can’t keep her?

Because it feels like there’s a hole inside my body
Like there’s a hole inside my heart
It’s like this feeling is gonna consume me

I’m so dumb, I should have just told you,
what I lost was a piece of you…

Pequena composição extraída de Adventure Time


jul 15 2014

Eu lembro de você!

Eu sou seu Simon. Sou maluco e não lembro mais de você.
Na verdade nem sei o que isso significa.
Ou seria o contrário?